Slider

Imagens de tema por kelvinjay. Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog

Compartilhar

Últimos Vídeos

Política

Últimas Notícias

Justiça

Brasil Império

Econômia

Ministros anunciam a Operação Radar para garantir escoamento da safra

As pastas de Infraestrutura, Agricultura, Justiça e Defesa atuam de forma integrada na BR-163, principal corredor da produção de grãos do Centro-Oeste aos portos do arco norte do país

Foto: Policia Rodoviária Federal


O período de chuvas transforma a BR-163, no Pará, num grande atoleiro. A rodovia, que é o principal corredor para o escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste para os portos do arco norte do país, não tem pavimentação em dois trechos que somam mais de 100 quilômetros (km). Para evitar o caos, com filas de caminhões atolados nesses locais, o governo anunciou nesta quarta-feira (30/1) a Operação Radar 2, que pretende garantir a trafegabilidade na rodovia durante a safra com investimentos de R$ 4 milhões em apoio logístico.

Os ministros de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, da Justiça, Sérgio Moro, da Agricultura, Tereza Cristina, e da Defesa, Fernando Azevedo, apresentaram o plano, que já está em curso. Freitas destacou que o objetivo da operação é evitar a formação de filas e permitir que a produção chegue aos portos. “Os terminais do arco norte estão crescendo em importância. No Brasil, 85% da produção de grãos está na região, mas o escoamento era feito somente pelos portos do sul”, afirmou. 

Segundo o ministro, ainda faltam 51 km de pavimentação até Miritituba e 58 km em outro trecho da BR-163 que leva a Santarém. “Estamos numa preparação intensa para responder à demanda, com batalhões do Exército e da Polícia Rodoviária Federal (PRF)”, destacou.

A ministra Tereza Cristina afirmou que a perspectiva é de que a produção de grãos do país atinja 247,3 milhões de toneladas este ano, 4,5% a mais do que na safra passada. A estimativa é de 118,8 milhões de toneladas de soja e 91,2 milhões de toneladas de milho. “Há previsão de perdas recentes, mas ainda será uma grande safra”, disse.

O Mato Grosso é o maior produtor do Brasil, com 64,3 milhões de toneladas de grãos, sendo 32,5 milhões de soja, 14,7 milhões transportados na área de influência da BR-163. “A rodovia é o eixo principal para o escoamento dessa produção e, este ano, a colheita da soja foi 13,3% mais precoce que no ano passado”, acrescentou a ministra.

Veja o vídeo de Sergio Moro:



Reforço


Moro ressaltou que o papel da Justiça é menor nesse contexto, mas pretende dar “segurança e tranquilidade” ao escoamento do transporte rodoviário no período da safra. “A PRF já está mobilizada, ajudando a evitar que incidentes no percurso sejam decorrentes de ilícitos ou de acidentes de tráfego”, assinalou. A previsão, segundo Moro, é de um reforço de 60 homens da PRF atuando na orientação do trânsito e nas ações de apoio, como fornecimento de alimentos, água e medicamentos na proximidade da rodovia.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, afirmou que o Exército participa por meio da diretoria de obras. Segundo o diretor, general Viana, várias tropas apoiam a ação, entre elas o 8° Batalhão de Engenharia de Construção, que fica em Santarém, na região de Novo Progresso, no Pará. “No início de janeiro, o movimento era de apenas 67 veículos por dia. Em 25 de janeiro, já registramos mil veículos/dia passando em direção à Miritituba. O fluxo é crescente por conta da antecipação da colheita. Vamos chegar a 1,5 mil/dia, como no ano passado”, estimou.

O Exército está atuando no controle do pare e siga, para evitar filas, apoio ao tráfego e conservação nos trechos trabalhados de terraplanagem. “Uma vez detectada chuva forte, temos equipes e máquinas para fazer uma intervenção imediata a fim de liberar o tráfego o mais rápido possível”, disse Viana.

NDB News

Principais notícias, Saúde de Boslonaro e Brumadinho.

Governo anuncia a revisão das normas de segurança para mais de três mil barragens no país. 

Foto: Reporter NBR 20h

Assunto será tratado como prioridade. Já em Minas Gerais, continuam as buscas pelas vítimas pelo rompimento da barragem em Brumadinho. E veja também: Presidente Jair Bolsonaro se recupera da cirurgia em São Paulo e amanhã Bolsonaro já reassume funções da presidência da República.


Veja o vídeo completo:





Governo anuncia a revisão das normas de segurança para mais de três mil barragens no país. Assunto será tratado como prioridade. Presidente Bolsonaro retoma o comando da Presidência nesta quarta, em gabinete especial montado no hospital Albert Einstein         


 NDB News

Brumadinho: Governo quer fiscalização imediata de barragens de risco alto

Decisão do ministro o Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, foi publicada no 'Diário Oficial da União' desta quarta-feira (30). 


Foto: Gustavo Canuto, ministro o Desenvolvimento Regional.

 O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, recomendou adoção de medidas necessárias à imediata fiscalização de todas as barragens classificadas como "risco alto" ou com "dano potencial associado alto" de acordo com relatório de Segurança de Barragens produzido pela Agência Nacional de Águas (ANA).
A decisão do ministro foi publicada no "Diário Oficial da União" desta quarta-feira (30). O ministro recomendou as medidas aos órgãos e entidades fiscalizadores de segurança de barragem considerando o acidente com a barragem no Córrego do Feijão, no município de Brumadinho.
Até a manhã desta quarta, 84 mortes foram confirmadas em Brumadinho e 276 pessoas continuam desaparecidas. Na última sexta-feira (25), o rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale se rompeu no município de Brumadinho provocando um mar de lama que matou pessoas e animais, destruiu refeitório e prédio da mineradora, pousada, casas e vegetação.
O documento fala em "início imediato da realização de vistorias in loco nas barragens". O ministro também definiu prazo de 90 dias para revisão de responsabilidade de empreendedores no Plano de Segurança de Barragens. No mesmo prazo de 90 dias devem ser realizadas auditorias em procedimentos da fiscalização de segurança de barragens.


Prioridade


De acordo com o ministro Gustavo Canuto, existem 20 mil barragens cadastradas no Brasil, com diversas finalidades. Deste total, 3.386 são classificadas com "dano potencial associado alto" ou "risco alto", e estarão no foco inicial do trabalho executado por órgãos federais e estaduais.
A fiscalização dessas barragens foi anunciada nesta terça-feira pelo ministro Gustavo Canuto após reunião ministerial no Palácio do Planalto, que tratou sobre a segurança de barragens.
O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, anunciou nesta terça-feira (29) que vai eliminar as dez barragens construídas com método semelhante ao de Mariana e de Brumadinho que ainda existem no país. Todas ficam em Minas Gerais.

Veja a íntegra do documento publicado no "Diário Oficial da União"


"MOÇÃO Nº 72, DE 29 DE JANEIRO DE 2019

Recomenda ações e medidas para implementação da Política Nacional de Segurança de Barragens - PNSB.

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS - CNRH, no uso das competências que lhe são conferidas pelas Leis n. 9.433, de 8 de janeiro de 1997, e n. 9784, de 29 de janeiro de 1999, e n. 9.984, de 17 de julho de 2000, e n. 12.334, de 20 de setembro de 2010, e:
Considerando que compete ao CNRH, nos termos do Inciso XI do art. 35, da Lei n. 9.433, de 1997, zelar pela implementação da Política Nacional de Segurança de Barragens;
Considerando que compete ao CNRH, nos termos do inciso XIII do art. 35 da Lei n. 9.433, de 1997, apreciar o Relatório de Segurança de Barragens e propor recomendações para melhoria da segurança de obras;
Considerando a competência atribuída pelo art. 67 da Medida Provisória nº 870, de 1º de janeirto de 2019;
Considerando que compete à Administração Pública adotar providências acauteladoras, em caso de risco iminente, nos termos do art. 45 da Lei n. 9.784, de 1999;
Considerando as informações contidas no Relatório de Segurança de Barragens, de 2017, produzido pela Agência Nacional de Águas - ANA e publicado em 2018;
Considerando o acidente com a Barragem no Córrego do Feijão, no município de Brumadinho, Estado de Minas Gerais, em 25 de janeiro de 2019;
Considerando a recomendação contida na Resolução n. 1, de 28 de janeiro de 2019, do Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastres, resolve:

Art. 1º Recomendar aos órgãos e entidades fiscalizadores de segurança de barragem, no âmbito de suas respectivas competências, a adoção de medidas acauteladoras necessárias à imediata fiscalização de todas as barragens classificadas como risco alto ou com dano potencial associado alto, nos termos do Relatório de Segurança de Barragens de 2017, produzido pela Agência Nacional de Águas - ANA.
Parágrafo único. As medidas acauteladoras de que trata a caput compreendem, entre outras:

I - a realização de auditorias em seus procedimentos e normativos orientadores da fiscalização de segurança de barragem, no prazo de 90 dias;

II - a atualização das informações sob sua responsabilidade no Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens (SNISB), no prazo de 90 dias;

III - a revisão do Plano de Segurança de Barragens, de responsabilidade dos empreendedores, na forma do art. 8º da Lei n. 12.334, de 2010, no prazo de 90 dias;

IV - a adoção das medidas previstas no art. 10 da Lei n 12.334, de 2010, no prazo de 90 dias;

V - o início imediato da realização de vistorias in loco nas barragens

Art. 2º Esta moção entra em vigor na data de sua publicação.
GUSTAVO HENRIQUE RIGODANZO CANUTO

Presidente do Conselho
MARCELO PEREIRA BORGES
Secretário-Executivo"

Fonte: G1

Coletiva do Exército de Israel em Brumadinho MG onde foi anunciado o resgate de uma pessoa com vida

Mesmo com tecnologia, trabalho humano foi valorizado. Em entrevista coletiva, tenente com família brasileira contou sobre sua satisfação em ajudar o Brasil


Homens são os equipamentos mais avançados que temos, diz major do exército de Israel

A delegação israelense que reforça os trabalhos de resgate das vítimas do rompimento da barragem da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, ocorrido na última sexta-feira (25), concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (29).

O chefe da delegação de Israel, coronel Golan Vach, afirmou que a tropa está equipada com ferramentas de alta tecnologia, mas foi categórico quanto aos recursos: “Os homens são os equipamentos mais avançados que temos”. 

O chefe do Estado-Maior do Corpo de Bombeiros (MG),  coronel Erlon Dias do Nascimento, informou que as buscas estão ocorrendo em um ônibus que foi encontrado na segunda-feira (27). “Estamos no ônibus resgatando os corpos, tanto a equipe de Israel quanto os bombeiros de Minas, sem maquinário, por enquanto”, disse.

(foto: Jair Amaral/EM/D.A. Press)

No meio da entrevista, o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, convidou Amit Levi, tenente das forças israelenses, para contar sobre sua experiência. A mãe da tenente é brasileira e ela tem familiares que ainda moram no Brasil. “É muito emocionante pra mim poder ajudar o Brasil neste momento tão difícil”, disse a jovem.

Veja o vídeo da coletiva:



NDB News

O Papa Francisco disse que não poderia apoiar Juan Guaidó como novo governo da Venezuela

O Papa Francisco disse na segunda-feira que não poderia apoiar Juan Guaidó como presidente da Venezuela

Papa não reconhece que já existe derramamento de sangue e ditadura na Venezuela

"Seria uma imprudência e seria prejudicial fazer parte de alguns de um governo ou do outro". Ou seja: como Pilatos ele prefere se desentender e lavar as mãos!

Ele também garantiu que "assusta um possível derramamento de sangue na Venezuela"
Verdade? Aparentemente, o Papa não está ciente do que está acontecendo na Venezuela há anos.

E não vamos esquecer que o Papa também fez declarações contra Bolsonaro, dizendo que "era uma ameaça a democracia e aos direitos humanos".
O Papa Bergoglio é socialista declarado, e todos na Argentina, terra natal do Papa, sabem disso!

Veja a reportagem completa do Portal Terra:


O papa Francisco disse no domingo que teme um banho de sangue (será que ninguem informou que isso já esta acontecendo?) na Venezuela, mas que é prematuro tomar partido porque isso poderia provocar mais estragos. 


Foto: Papa Francisco dá entrevista coletiva a bordo do avião papal 


  O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, está enfrentando um desafio inédito à sua autoridade desde que o líder da oposição Juan Guaidó se autodeclarou presidente interino, citando uma eleição fraudulenta e conquistando amplo apoio internacional.
"Neste momento apoio todo o povo venezuelano porque é um povo que está sofrendo", disse o papa a repórteres no avião que o levava de volta do Panamá, onde fez um apelo por uma solução justa e o respeito aos direitos humanos na Venezuela. "Sofro com o que está acontecendo na Venezuela", afirmou.

"O que é que me assusta? O derramamento de sangue", disse. "O problema da violência me assusta. Depois de todos os esforços feitos na Colômbia, o que aconteceu na academia de polícia foi horrível. O derramamento de sangue não resolve nada."
Verdade Papa Francisco? Será que o Sr pensa no povo que morre de fome na Venezuela? Nos assassinatos e abuso de autoridade do Governo Ditatorial de Nicolas Maduro? Nos presos políticos?
O pontífice se referiu a um ataque com bomba em uma academia de polícia de Bogotá que matou 21 pessoas. O governo culpou o grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN), que iniciou conversas de paz com a gestão anterior.
Francisco respondia a um jornalista mexicano que lhe disse que os venezuelanos "querem ouvir seu papa latino-americano".

No domingo, Israel e Austrália se somaram aos países que apoiam Guaidó, e o governo do presidente norte-americano, Donald Trump, disse que aceitou o membro da oposição Carlos Alfredo Vecchio como representante diplomático do país nos Estados Unidos.

O papa argentino disse aos repórteres: "se eu dissesse 'ouçam estes países' ou 'ouçam aqueles países'... me colocaria em um papel que desconheço, seria uma imprudência pastoral da minha parte, e eu causaria danos." 

Papa Francisco, você não é um imprudente! VOCÊ É CUMPRISSE DA DITADURA DE NICOLAS MADURO NA VENEZUELA!



NDB News

A era Vargas - O Crepúsculo de um Ídolo

Episódio 6 (Filme)| O Crepúsculo de um Ídolo - Série Brasil A Última Cruzada



Começa a polêmica na internet sobre este novo sentido da história do Brasil que tem sido explorado pela equipe do Brasil Paralelo, baseada na visão dos maiores pensadores brasileiros da atualidade, todos de linha liberal e conservadora, contra a visão romântica e esquerdista que havia 50 anos dominava, se ainda não domina, as instituições acadêmicas brasileiras. Vale a pena acompanhar a série e o debate!


Assista a série:


'Havia meios de se evitar tragédia', diz juíza que determinou prisões

“Trata-se de apuração complexa de delitos, alguns, perpetrados na clandestinidade”, considerou Perla Saliba Brito                                      


Brumadinho: Engenheiros e funcionários da Vale responsáveis pela tragédia
 A juíza federal da Comarca de Brumadinho, Perla Saliba Brito, considerou a prisão temporária de três funcionários da Vale diretamente envolvidos no licenciamento da barragem que se rompeu em Brumadinho e a prisão de dois engenheiros terceirizados, que atestaram a estabilidade do empreendimento, “imprescindível” para as investigações. “Trata-se de apuração complexa de delitos, alguns, perpetrados na clandestinidade”.
O R7 teve acesso ao documento com exclusividade, classificado como restrito, assinado pelo engenheiro Makoto Namba, da Tüv Süd Bureau de Projetos, e pelo engenheiro da Vale César Augusto Paulino Granchamp.
A magistrada destacou que os documentos demonstram a existência de indícios de autoria ou participação dos representados nas infrações penais de falsidade ideológica, crimes ambientais e homicídios, “crimes estes punidos com penas de reclusão”.


Em outro ponto da decisão, ela cita que a tragédia demonstrou não corresponder ao teor dos documentos, “não sendo crível que barragens de tal monta, geridas por uma das maiores mineradoras mundiais, se rompam repentinamente, sem dar qualquer indício de vulnerabilidade”.


“Convém salientar que especialistas afirmam que há sensores capazes de captar, com antecedência, sinais do rompimento, através da umidade do solo, medindo de diferentes profundidades o conteúdo volumétrico de água no terreno e permitindo aos técnicos avaliar a pressão extra provocada pelo peso líquido, o que nos faz concluir que havia meios de se evitar a tragédia”, concluiu a juíza.

Fonte: R7

PM de folga baleado ao reagir a assalto em SP segue internado em estado gravíssimo após 5 dias

Soldado reagiu a roubo de moto e baleou dois ladrões, que foram detidos pela Polícia Militar. Câmera gravou crime na quarta-feira (23) na Zona Leste de SP.

Foto: Policial baleado

 Cinco dias após ter sido baleado na cabeça ao reagir a uma tentativa de assalto na Zona Leste de São Paulo, o policial militar Rafael Bruzadin Rezende, que estava de folga, permanece internado em estado gravíssimo, informou na manhã desta segunda-feira (28) o Hospital Santa Marcelina, em Itaquera.

 O soldado de 34 anos foi ferido na noite de quarta-feira (23) e operado na quinta-feira (24).
“O Hospital Santa Marcelina informa que o paciente segue internado e seu estado de saúde é considerado gravíssimo”, informou a assessoria de imprensa do hospital por meio de nota. Parentes do policial foram à capital paulista na sexta-feira (25) para doar sangue para a vítima.
Câmera de segurança registrou crime, na Rua Engenheiro Guilherme Cristiano Frend, em Aricanduva 

Veja o vídeo:

Vídeo


As imagens mostram que Rafael estava à paisana, sem uniforme, numa moto Kawasaki Z650. Ele voltava do trabalho, na 1ª Companhia do 38º Batalhão da PM, quando foi abordado por dois homens, que estavam em uma motocicleta Honda CG.
Os bandidos queriam roubar a Kawasaki dele. Em seguida, o agente reagiu atirando na direção dos bandidos com a pistola .40 da corporação. Na troca de tiros, o agente baleou dois criminosos, que depois foram presos pela Polícia Militar (PM).


Um dos ladrões, Douglas da Silva Oliveira, de 18 anos, estava armado com um revólver calibre 32. Ele também disparou contra o policial, mas, segundo o boletim de ocorrência do caso, registrado como tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte) no 69º Distrito Policial (DP), Teotônio Vilela, não há informação se o agente foi baleado nesse tiroteio. 

Baleados


Douglas, porém, foi atingido na barriga por um tiro dado por Rafael e caiu na rua, perto das motos. O comparsa dele, um adolescente de 16 anos, que antes pilotava a moto Honda, também foi atingido por um disparo feito pelo policial. Mesmo ferido na perna, ele conseguiu fugir a pé.

Em seguida, no vídeo é possível ver que o policial pegou o celular, se sentou na calçada e pediu socorro. Nesse instante, Douglas se levantou e atirou na cabeça do PM, fugindo em seguida na moto que havia usado para cometer o roubo com o comparsa.

A perícia da Polícia Técnico-Científica dirá se o policial foi baleado com o revólver calibre 32 dos criminosos ou com sua própria pistola .40.  

Detidos


Outros policiais militares foram acionados por testemunhas para atender a ocorrência e detiveram, a cerca de 100 metros do local do crime, Douglas, que estava com a arma do agente, e o adolescente. Segundo a Polícia Militar, os dois confessaram a tentativa de roubo.

Douglas foi levado ferido na barriga para o Hospital Sapopemba, onde foi operado e permanecia internado até a publicação desta reportagem. Somente após receber alta médica é que ele poderá ser ouvido pela polícia.

O adolescente infrator apreendido também chegou a ser socorrido ao mesmo hospital, onde foi atendido e liberado. Não há informações se ele foi encaminhado a uma das unidades da Fundação Casa para cumprir medidas socioeducativas pela infração. 

Fonte: G1

Moro autoriza envio de força-tarefa de intervenção penitenciária ao Ceará

Intervenção é uma reação à onda de ataques coordenados por chefes de facção. Os profissionais vão atuar nos serviços de guarda, vigilância e custódia de presos, e podem trabalhar ainda em ações de inteligência de segurança.


Foto: O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro

  O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, assinou uma portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira (28) autorizando o envio de agentes da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) para dar apoio ao estado do Ceará, em decorrência da onda de ataques violentos contra o estado desde o início do mês. O grupo deve permanecer por 45 dias no estado, a contar do dia 14 de janeiro.


O G1 solicitou ao Ministério da Justiça e Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará (SAP) o número dos agentes penitenciários já enviado ao estado com base na autorização. O ministério não respondeu. A SAP informou que, por medida de segurança, não vai divulgar quantos agentes foram enviados e para quais unidades.

Desde o dia 2 de fevereiro ocorreram 257 ataques contra ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses. Os crimes começaram em Fortaleza e se espalharam para a Região Metropolitana e diversas cidades do interior. Os ataques são uma tentativa de forçar o estado a desistir de ações que tornam a fiscalização nos presídios mais rigorosa.
Os agentes penitenciários vão fazer serviços de guarda, vigilância e custódia de presos, e podem também atuar em ações de inteligência de segurança pública que tenham relação com o sistema prisional.

O efetivo das equipes é definido de acordo com planejamento feito pelos entes envolvidos em cada operação, segundo o Ministério.
O ministro Sérgio Moro ainda publicou outras duas portarias sobre o emprego da força-tarefa, nesta segunda. 

Fonte: G1

Após Brumadinho, ministro Ricardo Salles chama sistema de barragens de "arcaico"

A frente da pasta do Meio Ambiente, Salles quer simplificar lei de projetos com baixo impacto ambiental, para focar em questões de alto e médio risco


Foto: Ministro defende fiscalização com foco nos empreendimentos de médio e grande risco

As declarações foram dadas à rádio Globo . Antes disso, à rádio Eldorado , o ministro defendeu também que haja uma simplificação da legislação brasileira nos casos de projetos de baixo impacto ambiental. A intenção, segundo ele, é de que tal simplificação resulte numa menor demanda para os órgãos de fiscalização e controle, para que eles possam focar nos empreendimentos mais complexos.Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-01-28/ricardo-salles-comenta-brumadinho.html
As declarações foram dadas à rádio Globo . Antes disso, à rádio Eldorado , o ministro defendeu também que haja uma simplificação da legislação brasileira nos casos de projetos de baixo impacto ambiental. A intenção, segundo ele, é de que tal simplificação resulte numa menor demanda para os órgãos de fiscalização e controle, para que eles possam focar nos empreendimentos mais complexos.
Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-01-28/ricardo-salles-comenta-brumadinho.html
Três dias depois da tragédia causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, criticou, na manhã desta segunda-feira (28) o sistema a qual pertencia a barragem da mineradora Vale, envolvida no episódio. Para ele, o sistema é 'arcaico' e existe falta de objetividade nas ações não só de prevenção como reparatórias de danos. 

"O Brasil virou um País onde tudo se quer discutir exaustivamente em várias frentes, tudo ao mesmo tempo, e isso não permite uma atitude mais executiva de ações pontuais e concretas", disse. "Nós precisaríamos ter uma fiscalização muito eficiente e, mais do que isso, uma pressão, uma determinação e um prazo para que se que se descontinue essa tecnologia arcaica, ultrapassada, de barragens construídas nessa modalidade", afirmou Ricardo Salles .

 As declarações foram dadas à rádio Globo . Antes disso, à rádio Eldorado , o ministro defendeu também que haja uma simplificação da legislação brasileira nos casos de projetos de baixo impacto ambiental. A intenção, segundo ele, é de que tal simplificação resulte numa menor demanda para os órgãos de fiscalização e controle, para que eles possam focar nos empreendimentos mais complexos.

 "Não se pode confundir desburocratização com ineficiência", disse. "Mas nós precisamos colocar o foco nas prioridades. E essa ausência de foco é que fez que tivéssemos um processo de licenciamento e fiscalização ineficiente", afirmou o ministro, se referindo a Brumadinho . “Precisamos de objetividade e centralidade para fazer com que as coisas aconteçam de maneira efetiva.


 (Hoje), recursos humanos que deveriam estar focados nas questões de médio e alto risco estão sendo dispersos (em questões menores). Precisamos de legislação que funcione, licenciamento que funcione”, disse Salles. De acordo com o ministro, se encaixaria em questões de baixo risco aquelas relacionadas ao agronegócio. Por sua vez, as questões de médio em alto risco seriam as relacionadas a ferrovias ou barragens, por exemplo. 


 Segundo o ministro do Meio Ambiente , o modelo anterior de gestão não funcionou porque não tinha foco, já que colocava no mesmo patamar projetos de baixo, médio e alto impactos. Leia também: Ministros participam de reunião para avaliar situação de Brumadinho “(Isso) está desvirtuando e tornando ineficientes os trabalhos de fiscalização. Quando a esquerda vem com o discurso de descuido ambiental (da direita), eu não admito porque o que aconteceu em Brumadinho é consequência da visão deles. É uma legislação tão complexa e irracional que não funciona”, defendeu Ricardo Salles .

NDB News

Brumadinho: radar de Israel pode achar corpos a 4 m da superfície

Militares brasileiros e israelenses definem estratégias para intensificar buscas de vítimas em regiões atingidas por rompimento de barragem                                      


Foto: Bombeiros definem estratégia de atuação com militares israelenses
  Equipes de militares brasileiros e israelenses deverão atuar de forma conjunta em algumas regiões atingidas pelo desastre provocado pelo rompimento de uma barragem de mineração da Vale, em Brumadinho, em Minas Gerais, na sexta-feira (25). Os radares trazidos pelas tropas israelentes conseguem identificar corpos entre três e quatro metros da superfície.

Leia mais: Luto e apreensão marcam 4º dia de buscas por vítimas em Brumadinho
O comandante Golan Vach elogiou o trabalho dos militares brasileiros e afirmou que os equipamentos para auxiliar nas buscas de vítimas estão sendo levados a Brumadinho. O trabalho de buscas e resgate na Mina Córrego do Feijão serão divididos entre militares brasileiros e israelenses. Segundo ele, a prioridade é encontrar vítimas com vida. 
O porta-voz do Corpo de Bombeiros, o tenente Pedro Aihara, afirmou que as equipes não conseguiram ter acesso ao local onde funcionava o refeitório da mineradora Vale. "A possibilidade de ele ter se deslocado muito a frente de onde estava é enorme", disse. "Teremos que ampliar o perímetro de buscas."
Segundo os bombeiros, as buscas devem se estender por semanas. No entanto, Aihara explicou que após 48 horas de operação é muito difícil encontrar sobreviventes. "Em um desabamento de prédio, por exemplo, existem bolsões de ar, quando se tem toda essa lama é diferente porque não há acessos para a entrada do ar."
O rompimento de uma barragem de mineração não é considerado um desastre "tradicional". Isso porque a quantidade de lama que se locomove dificulta o acesso aos locais atingidos pela quantidade de rejeitos. O acesso aos locais afetados ocorre, basicamente, por meio de helicópteros.

Pousada devastada


Os bombeiros fizeram um acesso e diversas varreduras onde funcionava a Pousada Nova Instância para localizar vítimas, porém, com as operações ficou comprovado que a estrutura foi levada pelo rejeitos. Havia pelo menos 35 pessoas no local. "A edificação foi completamente movida", diz.

Em relação ao segundo ônibus encontrado, o Corpo de Bombeiros afirmou que retomou as buscas por vítimas nesta segunda-feira às 4h. "Avançamos durante a noite, mas pela falta de luz só conseguimos dar continuidade na madrugada de hoje, precisávamos de aparelhos de iluminação. A operação estava insustentável, não existia oferta de luz e tivemos que encerrar", afirmou. "Com ferramentas de corte conseguimos abrir um acesso, mas não dá para retirar o ônibus no momento."

Legado de Mariana

  A tragédia em Brumadinho já é considerada um dos maiores desastres ambientais do país. O tenente explicou ainda que, apesar das dificuldades, o Corpo de Bombeiros tem a experiência de atuar em situações como essas em função do rompimento da barragem em Mariana, também em Minas Gerais. "Trazemos como experiência a doutrina de busca, utilização de recursos tecnológicos, georeferenciamento, o conhecimento de para onde os corpos foram levados, onde estão os maiores locais de retenção que detem o curso da lama."
Leia mais: Brumadinho: ‘gritos, crianças chorando e fogo’, voluntário descreve horror em resgate que ‘não passa na televisão’
Quando a lama sedimenta, segundo o porta-voz dos Bombeiros, facilita a locomoção das equipes e permite o uso de máquinas pesadas. "Nas primeiras 48 horas não operamos com máquinas pesadas, depois disso já conseguimos utilizare esse equipamento", disse o tentente.

Em relação ao grupo de cerca de 130 militares, médicos, engenheiros, bombeiros e técnicos de Israel que começa a atuar na manhã desta segunda-feira na cidade, o tenente afirmou que se trata de uma ajuda bem-vinda. "As operações dos israelenses será coordenada por nós também. Teremos reuniões de alinhamento para definir os trabalhos", diz Aihara. Uma reunião ocorrerá nesta manhã para definir a atuação dos grupos.

NDB News

Tragédia em Brumadinho - 3º dia: buscas por sobreviventes são interrompidas

Sirene é acionada por risco de rompimento de nova barragem. Moradores deixam suas casas e vão para a partes mais altas da cidade.

Foto: Tragédia de Brumadinho MG

 As buscas por sobreviventes do rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, foram temporariamente interrompidas na manhã deste domingo (27) pelo risco de rompimento de uma outra barragem na região. Uma sirene foi acionada por volta das 5h30, e moradores de partes baixas da cidade começaram a deixar as suas casas em direção a regiões mais altas. 24 mil pessoas devem sair de casa, de acordo com os bombeiros.


Veja o vídeo:



O rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, da Vale, ocorreu no início da tarde da última sexta-feira. Um mar de rejeitos destruiu casas da região e a área administrativa da empresa.
Há ao menos 37 mortos e 81 desabrigados, segundo os bombeiros. Outras 192 pessoas foram resgatadas com vida e 23 feridos foram internados em hospitais. Além disso, 287 pessoas - entre moradores locais e funcionários da Vale - não puderam ser contatadas. 

Neste domingo, as sirenes foram acionadas por volta das 5h30 após ser detectado um aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem 6, de acordo com a Vale. 

 Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1 

x
  Ainda segundo a mineradora, as autoridades foram avisadas e, como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência.
Pedro Aihara, porta-voz dos bombeiros, disse que as áreas de risco são os bairros de Parque da Cachoeira, Pires, Centro e Novo Progesso. Os moradores desses locais devem deixar as suas casas e se direcionarem a 3 pontos de encontro: Igreja Matriz, no centro, o quartel da Polícia Militar e Morro do Querosene. Segundo ele, esses locais são considerados seguros, mesmo se houver o rompimento.
Ainda de acordo com Aihara, a barragem 6 tem de 3 a 4 milhões de metros cúbicos de água e é usada como apoio às operações da mina.

Policiais ajudaram a orientar a população em algumas partes da cidade, mas moradores de outras regiões reclamaram da falta de orientação. Equipes dos bombeiros foram ao bairro Parque da Cachoeira, que é o principal ponto de preocupação pelo risco de rompimento e onde há aproximadamente 25 casas.

 Um morador da parte baixa de Brumadinho disse em entrevista ao vivo à GloboNews que se assustou com o alarme e que, inicialmente, não sabia do que se tratava exatamente. Segundo ele, os vizinhos começaram a ligar uns para os outros para entender o que estava acontecendo e foram para a parte alta da cidade só depois que a polícia militar confirmou que era para todos deixarem suas casas.

“Larguei a casa, peguei só uns suprimentos e documentos e fui embora. Não teve nenhum treinamento para saber se podíamos pegar mais coisas”, disse. 
A chuva em Brumadinho dificultou os trabalhos de resgate neste sábado. Um ônibus foi encontrado com mortos na região próxima à barragem rompida, mas o número ainda não foi divulgado. Uma pousada que é destino de famosos foi soterrada e poucas vítimas foram resgatadas. O presidente da Vale, Fabio Shvartsman, também sobrevoou a área afetada no sábado.


Nova decisão


Na noite deste sábado a Justiça de Minas Gerais expediu uma segunda decisão de bloqueio de R$ 5 bilhões da Vale em razão do rompimento de uma barragem da empresa. Nesta nova ação, o bloqueio tem por objetivo garantir recursos para reparar os danos causados as pessoas atingidas pela tragédia. Na anterior, também movida pelo MP de Minas, o destino é dos recursos é o pagamento de despesas ambientais.
Com nova decisão, chega a três o número de bloqueios de recursos da Vale:
  • R$ 1 bilhão para atendimento às vítimas, em ação movida pelo governo de MG
  • R$ 5 bilhões para danos ambientais, em ação movida pelo MP
  • R$ 5 bilhões para atendimento às vítimas, em ação movida pelo MP

Além disso, a companhia recebeu duas multas. Uma, de R$ 250 milhões, aplicada pelo Ibama e outra, de R$ 99 milhões, aplicada pelo governo do estado.

O que se sabe até agora:


  • Há ao menos 37 mortos, 81 desabrigados e 23 feridos em hospitais, segundo os bombeiros; 192 sobreviventes foram resgatados.
  • De acordo com a Defesa Civil, 287 pessoas - entre moradores locais e funcionários da Vale - não puderam ser contatadas. No sábado, a Vale divulgou uma lista com mais de 250 nomes de funcionários com os quais não conseguiram contato (veja);
  • Familiares de desaparecidos buscaram informações no IML de BH. Uma força-tarefa foi formada, mas a identificação dos corpos é difícil;
  • Oito corpos foram identificados e tiveram os nomes divulgados no sábado - veja aqui a lista;
  • Bombeiros divulgaram lista de 183 nomes de pessoas que foram achadas vivas (veja);
  • A Vale já teve três bloqueios de recursos, de R$ 1 bilhão, R$ 5 bilhões e R$ 5 bilhões (veja) e recebeu multas no total de R$ 350 milhões;
  • As Polícias Federal e Civil abriram inquéritos sobre o rompimento (veja);
  • O presidente Jair Bolsonaro, ministros, o governador Romeu Zema e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge sobrevoaram a área e prometeram ações de investigação, punição e prevenção;
  • A ONU emitiu nota de pesar e ofereceu ajuda nos esforços de busca.

Reunião técnica


O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, comandou uma reunião com técnicos neste domingo na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília. O encontro tentou reunir informações mais precisas sobre quatro pontos:
  • Qualidade da água do rio Paraopeba;
  • Previsões de avanço dos rejeitos da mina que rompeu;
  • Estabilidade da barragem 6;
  • Relatório de segurança de barragens de 2017.

Canuto afirmou no início da reunião que a “questão central” é a barragem 6. O ministro classificou a tragédia em Brumadinho como “inacreditável”: “Realmente muitos desaparecidos, probabilidade de mortes aumentarem substancialmente”, disse.

Ajuda de Israel


Ao serem retomadas, as buscas devem contar com apoio de bombeiros de outros estados, como do Rio de Janeiro, e também com a ajuda de profissionais israelenses. Um avião com 130 soldados saiu de Israel em direção ao Brasil às 6h da manhã deste domingo, no horário de Brasília. O reforço deve chegar por volta das 21h30.



  Além dos soldados, Israel enviou ao Brasil sonares do tipo usado em submarinos para localizar pessoas em grande profundidade com alta qualidade de recepção de imagem e detectores de vozes e ecos. Cerca de 16 toneladas de equipamentos estão sendo trazidas.
Segundo a repórter Gioconda Brasil, da TV Globo, o governo israelense enviará também uma aeronave com equipe médica, especialistas e engenheiros. O apoio foi oferecido pelo premiê Benjamin Netanyahu e aceito pelo presidente Jair Bolsonaro.

Impacto


O presidente da mineradora, Fábio Schvartsman, diz que ainda não se sabe o que causou o rompimento da barragem e que foi uma surpresa, porque as indicações eram de que estava “tudo em ordem”.

Os rejeitos da mineração são resultado do processamento para separar o minério de ferro bruto de impurezas que não têm valor. Essa sobra contêm restos de minério, sílica e derivados de amônia.


  A Vale afirma que a lama vazada não é tóxica. Especialistas dizem, porém, que há danos ambientais graves, como a contaminação do solo e da água por minério fino, que fica na sobra dos rejeitos. Veja mais informações de especialistas.

A comunidade local já tinha alertado os órgãos ambientais do estado para o risco da continuidade das operações na mina do Córrego do Feijão, que já estava esgotada.

Estima-se que a lama percorra 200 km de área e chegue ao rio São Franciso. Ela está descendo a Serra dos Dois Irmãos, que é rica em Mata Atlância, deve cair no rio Paraopeba, que abastece um terço da região metropolina de Belo Horizonte. 

Fonte G1

Arquivo do blog